o-que-eu-levo-do-mopi-matheus-amaral

O que eu levo do Mopi – Matheus Amaral

Para o futuro cientista da computação, Matheus Amaral, o que ele vai levar do Mopi são as experiências que vivenciou durante a pandemia, pois foi durante este período que o jovem despertou para o que queria ser.

Aprovado em Ciência da Computação na PUC, CEFET e agora na UERJ, Matheus nos conta que foram as monitorias e os testes de aptidão que a escola oferecia que o ajudaram na sua escolha profissional.

“Estudei no Mopi por uma década, e é impossível esquecer essa trajetória. A volta depois do ensino a distância foi um dos melhores momentos da minha vida, pois concretizei tudo o que queria.”, conta o jovem.

Leia mais: O que eu levo do Mopi – Roberto Oliveira

Assim como foi para o Matheus, nós do Mopi estimulamos em nosso dia a dia práticas instigantes que, além de trabalharem o conteúdo, tão importante nas provas de vestibular, também preparam nossos alunos para atingirem seus objetivos de vida.

Parabéns, Matheus!