Eu, robô?

Nossa professora Renata se desfaz da sua versão digital para falar sobre as belezas do convívio social.

 

As ferramentas digitais têm sido importantíssimas para o processo de aprendizagem dos nossos alunos, principalmente em tempos de isolamento social. É impressionante observar a desenvoltura das crianças ao interagirem com o mundo digital.

 

Esses instrumentos são capazes de instigar, estimular e até mesmo de aproximar as pessoas. São mecanismos essenciais para esse momento tão atípico que estamos vivendo.

 

As telas encantam as crianças e jovens e, por isso, o aprendizado pode ser enriquecido com elementos, vídeos, jogos e muito mais. E, sempre, claro, com um olhar cuidadoso para que esse uso seja saudável e não excessivo.

 

Mas a verdade é que nem tudo pode ser substituído pela tecnologia. Existem diversos fatores no universo humano que não podem ser matematizados, pois somos, por natureza, seres sociais e afetivos.

 

É nas relações que as crianças desenvolvem suas habilidades sociais. É no convívio que se sentem protegidas e acolhidas por todos que as cercam. Na escola, desde pequenos, os alunos aprendem a lidar com o outro, com as diferenças, e entendem o que significa estar inserido em uma sociedade. E, a partir daí, começam a formar seus valores, suas crenças e sua visão de mundo.

 

Nós do Mopi acreditamos que cada aluno é um ser integral, dotado de sentimentos, emoções, pensamentos e experiências, que os fazem indivíduos únicos e especiais, e eles levarão essa bagagem de vivências por toda a sua vida.

 

A tecnologia agrega em muitos fatores, mas jamais substituirá o poder das relações.

 

Somos amor, somos união, somos vida!
E que possamos viver novamente essas relações o quanto antes.

#Vaipassar