Ensino híbrido: aliando tecnologia à metodologia

A “chacoalhada” que a pandemia do novo coronavírus nos deu também nos trouxe muito aprendizado, pois fomos todos impostos a fincarmos os pés em um ensino mais afeito ao século XXI. O conhecido modelo de escola ganha ainda mais ferramentas e possibilidades, cada vez mais alinhadas às demandas atuais.
Uma das novidades foi a chegada de uma nova modalidade de ensino, o modelo híbrido. Neste, o aluno fica uma semana presencialmente na escola e na outra semana, ele acompanha as aulas, remotamente, de sua casa.
A aprendizagem híbrida veio para integrar a educação à tecnologia. É uma mistura metodológica que impacta a ação do professor em situações de ensino e a ação dos estudantes em situações de aprendizagem.
Em níveis mais profundos, o ensino híbrido nos exigiu que repensássemos desde a organização das salas de aulas, passando pela reestruturação do plano pedagógico, readequação da infraestrutura, como a aquisição de câmeras e microfones, até, a gestão do tempo na escola.
Sabemos que precisamos estar sempre estimulando os nossos alunos a potencializarem novas habilidades, como: a capacidade e a autonomia para a resolução dos problemas, mesmo sem ter as ferramentas ou as condições necessárias e a resiliência para persistirem diante de outras oportunidades, agora impostas por esse novo modelo de ensino.
O mundo está em constante transformação. E nós do Mopi, junto com os nossos alunos, estaremos sempre nos reinventando para acompanharmos todas as possibilidades.