Bem-vindos, Educadores.

“Criar laços. Viver sonhos”. Esse é o tema gerador escolhido para 2017 e que irá guiar todas as nossas atividades ao longo do ano. Para lançar o tema, recepcionar os educadores que retornam das férias e dar início ao ano letivo, promovemos um evento de boas-vindas, que contou com a presença de professores, pais, parceiros e de um palestrante muito especial: o teólogo, filósofo e professor Leonardo Boff.

A primeira parte da manhã, dedicada aos nossos educadores das duas unidades, contou com a fala da fundadora do Mopi, Regina Canedo, que inaugurou os trabalhos do dia dando as boas-vindas à equipe e enunciando os desafios para 2017. Em seguida, o nosso Diretor Antonio de Viveiros explicou a origem do tema “Criar laços. Viver sonhos”, que surgiu do diálogo com professores e da identificação com os objetivos da Agenda 2030 da Unesco para o desenvolvimento sustentável. Esse primeiro momento também contou com uma apresentação do Coordenador de Humanas Marcus Dezemone, que refletiu sobre as lacunas existentes nas avaliações de larga escala no Brasil, como Enem, Enade e os vestibulares.

Em um segundo momento, convidamos os pais e parceiros para se juntarem à nossa equipe e prestigiarem a palestra de Leonardo Boff. A escolha por Boff deveu-se à convergência de seus estudos com o nosso tema gerador do ano: “Eu me interessei muito pelo caráter novo e integral da proposta do Mopi, porque é uma proposta que supera aquela visão cartesiana das coisas divididas e coloca tudo em relação, e a natureza incluída. Isso cria um cidadão novo, com uma nova relação com a natureza e com os outros. Exatamente criar laços, e esses laços projetam sonhos para serem realizados e mobilizar as pessoas a construírem uma sociedade mais humana”, comentou o filósofo sobre o nosso projeto.

Ao longo da palestra, Boff falou sobre os desafios encontrados pelos professores atualmente e propôs algumas saídas: “Hoje, mais do que nunca, o professor tem que escutar muito o aluno, porque o aluno pertence a uma nova geração, ele vem com outras influências, é portador de novos sonhos, que não são os nossos sonhos, e esse encontro é fecundo para o professor, que além de ensinar, aprende, e para o estudante que encontra um interlocutor mais experiente. A convivência entre os humanos, com a natureza e com o todo é o que falta hoje no mundo e, para mim, é o que irá salvá-lo”, disse Boff.

O professor ainda defendeu a “qualificação do fazer”, que na sua visão não deve ser um “fazer” egoísta, centralizador e acumulativo, mas sim um “fazer coletivo”, onde um ajuda o outro na criação de uma nova visão das coisas. Por fim, Leonardo Boff defendeu que a maior luta da sociedade hoje é “garantir que os mais humildes tenham acesso aos meios fundamentais de vida”, que seriam alimentação, moradia digna, trabalho, escolaridade e cultura para que possam participar ativamente da sociedade.

Ao término da palestra, uma rodada de perguntas foi aberta e nossos convidados puderam dialogar com o teólogo sobre assuntos que envolveram a escola, o ensino e os cuidados com o próximo e com o espaço que habitamos. Agora, estamos todos ansiosos para criar novos laços em 2017 e concretizar sonhos.